WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Itororó

Cristo continua crucificado?

Por: Marônio Cedro Mira

Há mais de 2000 anos Jesus Cristo começou a deixar a sua mensagem… Naquele período, o povo recebia certos benefícios alimentares e algumas diversões dos governantes romanos. Como esquecer o pão e circo?

Determinados “líderes sociais” eram considerados semideuses. A ganância dos políticos alargava as práticas voltadas para a corrupção. Grande parte dos saduceus usava do seu poder político-econômico para a “comercialização” religiosa. Com suas oratórias, dentre eles vários fariseus, alienavam a mente de muitas pessoas.

Muitos desses benefícios, diversões e corrupções político-religiosas serviram de mecanismos para crucificar Jesus. E hoje, será que mudou muita coisa?

Ah! acredito que não, Cristo continua crucificado, pois o assistencialismo baseado na barganha social foi e é a marca de várias políticas governamentais. Ao mesmo tempo, meras diversões oferecidas pelos sistemas políticos “anestesiam” as dores psicossociais dos “desafortunados”. Olha ai o pão e circo à moda brasileira, que se arrasta por mais de cinco séculos.

Pelas suas glórias, artistas, atletas e outros profissionais se tornam para as “galinhas” humanas semideuses, dotados, para muitos, de poderes que parecem sobrenaturais. Esses indivíduos passam a ser imitados, exaltados. Como se vê, de um modo ou de outro, ainda se encontram os semideuses.

Sobre a corrupção no Brasil, parece que já se “naturalizou”. Essa herança que veio desde o período colonial, estendeu-se no Império e se alastrou pela República. Nesse último sistema governamental, as alienações biopsicossociais estiveram e estão presentes nas ditaduras, bem como nos diversos ciclos ditos democráticos.

Infelizmente, a corrupção brasileira não deve nada às falcatruas do Império Romano. Se o pão e circo, a adoração aos semideuses e as corrupções ainda estão presentes na nossa sociedade, não se pode esquecer das verdades nefastas construídas por diversos oradores. E nesse rol não se encontram apenas inúmeros políticos, há também religiosos que teorizam sobre os ensinamentos do Cristo, mas na prática agem como certos fariseus e/ou saduceus da pós-modernidade.

Por tudo isso que fora citado, vale expor este questionamento: Até quando as cruzes erguidas nos diversos espaços sociais e os cravos das hipocrisias, das corrupções, das mistificações e das imposições oriundas do moralismo das verdades absolutas continuarão a crucificar Jesus Cristo?

Um Comentário

  1. E por falar em corrupção amigo Milton, kd a notinha sobre a indisponibilidade dos bens do nobre senador da República o Sr Jacques Wagner, decretada pela justiça , vamos acreditar que o esquecimento foi um lapso temporal! Mas , mesmo assim , publique !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Fechar