WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Geral

Enfim, STF começa a julgar Lava Jato; Lula mais perto da liberdade

Ricardo Kotscho

Ao colocar na pauta desta quinta-feira o julgamento sobre prisão após segunda instância, o Supremo Tribunal Federal abre o caminho que poderá colocar Lula em liberdade e, mais adiante,  anular os seus processos.

“Trata-se de garantir a vitória da Constituição”, disse um dos ministros do Supremo ao Globo.

Até o final do ano, o plenário do tribunal deverá definir também uma tese sobre a anulação de condenações nos processos em que réus delatados não puderam falar depois dos réus delatores.

Espera-se também a conclusão do julgamento da ação em que a defesa de Lula acusa Sergio Moro de suspeição por agir com parcialidade, como provam as mensagens reveladas pelo The Intercept sobre o conluio do ex-juiz com os procuradores da Lava Jato.

Gilmar Mendes tinha pedido vistas, mas já devolveu o processo para julgamento na Segunda Turma do STF. Agora só falta a presidente da turma, Cármen Lúcia, colocar na pauta.

Marco Aurélio Mello, o ministro que desde o ano passado tenta colocar na pauta o julgamento das prisões após a condenação em segunda instância, um dos pilares da Lava Jato para forçar as delações dos réus.

“Todo mundo é a favor do combate à corrupção, mas observados os meios contidos na ordem jurídica. Em Direito, o meio justifica o fim, não o fim o meio. Não dá é para levar essa percussão penal de cambulhada. Não avançamos culturalmente a qualquer custo”, disse Mello, antes de Dias Toffoli marcar o julgamento desta quinta-feira, resumindo um sentimento agora majoritário no tribunal.

Cinco anos e meio após o início da Lava Jato de Moro & Dallagnol, que desmontou a economia e o sistema político do país, os métodos da operação começam a ser colocados em xeque no STF.

Os procuradores da força-tarefa de Curitiba, chefiados por Deltan Dallagnol, que foi desmascarado pela Vaza Jato do Intercept, sentiram que os ventos mudaram no STF e já falam em revanchismo e retrocesso.

Quem julgou e condenou, de acordo com suas próprias leis, para cumprir um cronograma golpista, no auge do poder da República de Curitiba, agora poderá ser julgado.

O vale-tudo da Lava Jato está com seus dias contados e, conforme o resultado dos julgamentos previstos até o final do ano, o ex-todo-poderoso xerife Sergio Moro poderá ficar mais longe de uma vaga no STF.

Nas voltas que a vida dá, uma hora as verdades acabam sendo reveladas e não dá mais para fingir que vivemos num clima de normalidade institucional, quando a Constituição é reiteradamente desrespeitada, para atender a interesses políticos e partidários.

Esta semana poderá ser decisiva para a democracia e o destino do ex-presidente Lula, há um ano e meio encarcerado em Curitiba, após um processo sem provas, produzido a toque de caixa, para tirá-lo das eleições presidenciais do ano passado.

Nem tudo está perdido. Ainda há esperanças para quem está disposto a lutar por justiça e não pensa em ir embora do Brasil.

Vida que segue.

Um Comentário

  1. Milton marinho, mesmo Bolsominion, tenho varios amigos aqui em itororo, com um só neurônio sabe que, a Farsa-Jato, foi o maior engodo,, hj, convivemos com alto índice de desemprego, o comércio sobrevive, não identificamos medidas que nos tirem da crise e a grande preocupação do Bolsonaro e seus séquitos é com a Venezuela, com Cuba, com o comunismo. Isso me parece um circo. , são legítimos representantes do que há de pior na elite brasileira _ predadora, soberba, sem escrúpulos, egoísta, entreguista, picareta, canalha, fingida, só de olho na Bolsa/Butim, como corsarios bucaneiros e no dólar. Em um ponto futuro, instituições como polícia federal e Ministério público serão novamente recolocados em suas funções técnicas tendo seus representantes midiáticos de hoje condenados, senão pelos tribunais corporativos das próprias instituições, pela história verdadeira que será contada por nós todos. Essa operação é uma vergonha decisões injustas e arbitrárias foram tomadas e juízas, delegada e promotores se protegem num corporativismo obsceno., pessoas cheias de ódio estimuladas por um governo fascista Muito comum aqui em itororo e as vezes frequentando bares de amigos tanto aqui como no Bandeira do Colonia é perceptível . pessoas que pensam que o país está num jogo e vale tudo para o seu “lado” ganhar. É só isso. É uma torcida, como se o país estivesse num campeonato de futebol. Se o juiz roubar para o meu time, tudo bem. Mas se cumprir as regras pro adversário, matamos todos. Sigo tentenado conscientizar as pessoas que amntenho dialogo sobre valores universais como democracia e direito de todos. Itororo é um grande foco de resistencia, uma cidade cosmopolita, embora sua populaçao seja pequena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Fechar