WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Itororó

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE PLANO DE APLICAÇÃO DO FUNDEF NÃO CONTARÁ COM OS PROFESSORES

Como sempre, além do dia e da hora inoportuna, sem a divulgação ampla de suas Audiências Públicas, no intuito de não atingir a população, -só parece- e nelas, só aparecem as figurinhas carimbadas; isto é, as clássicas figuras “Chapas Brancas”, que vão lá para incensar o rei e concordar com tudo que o rei diz.

A Audiência Pública da aplicação da verba do FUNDEF, do Governo da Cidadania de Adauto, será realizada nesta segunda-feira 22, as 10 horas da manhã no auditório da Câmara Municipal, uma reunião para demonstrar ao povo um Plano de Aplicação do Recurso do FUNDEF.

Acontece que a secretária de educação e primeira dama do município, Cláudia Pinheiro, entende que a peça mais importante para discutir o que fazer com esse dinheiro, não deverá comparecer: os professores.

Ao solicitar aos diretores dos colégios do município para que fossem liberados para participar da Audiência Pública, a secretária envia nota aos colegas gestores dizendo que, pelo menos, a maioria deve comparecer, já os professores, se quiserem comparecer deverão deixar um professor substituto no lugar, pois os alunos não devem ficar sem as aulas.

Isso significa duas coisas: ou a secretária não deseja ouvir a opinião dos professores sobre o assunto, ou, mais uma vez, não sabe o que é prioridade diante do debate sobre o montante da verba e sua aplicação. Além de ter marcado a reunião para o dia errado da semana, alertando os colegas gestores no dia de hoje (domingo), portanto, poucas horas antes do evento, tendo em vista que não só os professores, com sua ordem direta, não poderão participar, (vide nota), por não encontrar e não existir, possivelmente cerca de 200 colegas para substituí-los. E se são substitutos, aí é que deveria também estarem presentes na elaboração e sugestão do plano. Até porque, essa é a cruzada mais importante que acontece em favor da educação que se iniciou lá atrás, graças à uma ação do Governo do então prefeito Marco Brito, cujo resultado eclode agora que, que acredito tenha sido a maior obra do ex-prefeito.

Vale ressaltar que toda a sociedade tem interesse em saber sobre o futuro de nossa educação.
Longe da transparência nas relações com a sociedade, o governo de Adauto, por incompetência ou maldade, talvez os dois juntos, faz com que acreditemos, que tudo caminha como dantes no quartel de Abrantes

.

9 Comentários

  1. Rapaz tomei até um susto com essa reportagem ,pensei que tínhamos voltado a ser governado pelo PT, onde audiências eram enchidas por ” cumpanheiros ” que vinham de ônibus de todas as localidades e pagos com o dinheiro do cidadão! Depois vi que é reportagem assinada pela mídia do quanto pior melhor ,então vamos bagunçar ! Essa turma não se conforma de ter perdido as bocas .

  2. Milton, o que pretendem esconder!? Se no bojo do nome consta PUBLICA (Audiencia) ausência dos maiores/principais interessados (Professores) só da margem para especulação, continuam falando para “convertidos” e “Paz de cemitério” sem questionamentos, conforme consta no escopo do texto: “.. só parece- e nelas, só aparecem as figurinhas carimbadas; isto é, as clássicas figuras “Chapas Brancas”, que vão lá para incensar o rei e concordar com tudo que o rei diz.” Tem gato nessa tuba ou tem caroço nesse angu, Sr. Milton Marinho!?

  3. Conforme a missiva, o Governo da cidadania é pura transparecia, tanto que exala enxofre…….Isso, tem rabo de porco, tem corpo de porco, tem orelha de porco, tem perna de porco, mas não é porco…eita!!! mundo sem porteira, sô! Como diz Toin Cari: “Querem comer a carne toda” kkkkk

  4. São 24 milhões a ser aplicado sem que o gestor dê satisfação a sociedade sobre sua, boa ou má aplicação. Será que alguém dos 11 vereadores se incumbirá da fiscalização? Digo, fiscalização na boca do caixa, ou seja na hora do pregão, da licitação de cada contrato nos muitos contratos licitatórios.. Aí é que o cabrito vai torcer o rabo. Muitos milhões nas mãos de um prefeito ditador, sem ninguém que fiscalize é cheque em branco, para se lambuzar…

  5. É preciso que a comunidade e ex-moradores possam contribuir com sugestões, porem, temos que observar se serao aceitas, ou sera mera “fachada” a tal participação popular. NO final quem decide sao os mesmos de sempre, chamam o povo para dar um “verniz” de legalidade

  6. Li todos os comentários e fiquei com uma pulga atrás da orelha, esse negocio escondido sem transparecia esta parecendo a reforma da providencia, o povo só saberá que o fumo entrou….. quando ouvir a voz da trombeta : “vcs se lascaram”

    1. Vamos acionar o Ministério Público,pois ainda cabe a decisão do STF…não vai ser como D. Claudia e o Sr prefeito querem não.Para isso existe a Justiça e é ela que vai decidir se os 60% é ou não do professor que tanto tem sofrido a amarga desvalorização dos gestores públicos de Itororó.Aguardem os próximos capítulos!!
      Somos professores e vamos á luta!

  7. O ministro Toffoli, do STF, frisou que o pagamento às prefeituras é constitucional por ser determinado em razão de erros no cálculo. A ilegalidade está no fato de as prefeituras utilizarem os recursos para pagar honorários. Última decisão: 11-01-2019.
    Cabendo a Câmara de Vereadores tomar os devidos cuidados, com a boa aplicação, (nas licitações é que moram o perigo), dos vultosos valores. Seria de bom alvitre contratar um advogado não afeito ao jeitinho brasileiro, para botar reparo, com os dois olhos, para que seja bem aplicada essa enorme verba..Sabe como é, dinheiro na mão é vendaval..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Fechar