WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
CulturaItororó

 AILTON JOSÉ DE OLIVEIRA AMARAL. MAIS UM PQD DE ITORORÓ

Por Miro Marques

 

Ailton José de Oliveira Amaral – Amaral PQD – nasceu em Vitória da Conquista – Bahia, no dia 30 de setembro de 1948, mas cedo, acompanhado dos seus pais, Sr. Manoel Afrânio da Silva Amaral e Dona Lionídia de Oliveira Amaral, transferiu residência para a região dos Cardoso, município de Itororó e ali viveu até resolver correr trecho, Brasil a fora, quando começou engrossar o cangote.  Em Itororó, há muitos anos, mantém seu domicílio eleitoral com residência fixa e casa própria, juntamente com sua família e já está gozando das prerrogativas da aposentadoria por tempo de contribuição.

Em 1956, perdeu sua mãe ao dar a luz o seu irmão Adailton, deixando 10 filhos sob os cuidados de seu pai. È levado pela irmã mais velha, professora Zoraide Amaral,  a estudar na Escola Nossa Senhora das Vitórias na região rural. Em Itororó estuda com as professoras: Aurora Valadares e Diana Dantas. Faz Curso de Admissão com o professor Oscar Brasil e ingressa no Curso Colegial do Ginásio Juracy Magalhães onde estuda com os professores Altamiranda Rezende Lopes e Josealde Teixeira Ladeia, entre outros ilustres educadores.Em 1963, passa a residir na cidade mineira de Ataléia, quando seu pai resolveu se mudar para o Estado das Alterosas a procura de dias melhores.

Em 1967, em plena Ditadura Militar, é convocado para servir o Exercito e se apresenta como voluntário na Brigada Aeroterrestre, agora Brigada Paraquedista do Brasil.

Em 1968, após ter realizado 4 saltos de aeronave em voos, conclui o Curso de Paraquedismo e recebe, orgulhosamente, o seu BREVÊ. No mesmo ano faz os Cursos de Combatente, Sobrevivência na Selva e Fuga e Evasão. É condecorado com a Medalha de Além do Dever. Em 1969, faz o Curso de Cabo Operador de Comunicações. É promovido no mesmo ano e sai às ruas do centro do Rio de Janeiro como Flanco Atirador contra as manifestações estudantis.

Em 1970, presta Concurso de Motorista de Comboio Militar e passa ser perseguido como simpatizante dos opositores do Regime Militar por retirar do xadrez, de noite, e colocar para tocar e cantar para o pessoal da Guarnição, o cantor Gilberto Gil. Participa do esquema de impedimento da troca dos prisioneiros políticos pela libertação do Consul americano Charles Hembrig, quando foi raptado no Rio de Janeiro. Serviu na Companhia de Comando com o Sargento PQD Guilherme Pereira do Rosário, aquele mesmo que morreu quando tentava explodir o Rio Centro. Serviu com o Capitão PQD Cláudio Coutinho, preparador físico e técnico do Flamengo e da Seleção Brasileira. Serviu por 4 anos sob comando do General PQD Hugo de Andrade Abreu, comandante da Brigada Paraquedista e, posteriormente,  Chefe da Casa Militar de Brasília – Distrito Federal que foi preso ao publicar o livro o Outro Lado do Poder e em seguida morto na Vila Militar do Rio de Janeiro, quando escrevia o Tempo de Crise.

Ailton José de Oliveira Amaral, o PQD, também participou da Guerrilha do Araguaia em Xambioá – TO, que se estendeu até Marabá no Pará.

Em 1978, é condecorado pelo Ministro de Estado do Exército Brasileiro com a Medalha Militar de Bronze, por reconhecimento pelos bons serviços militares prestados ao Exercito e a Nação Brasileira durante mais de 10 anos.

Ao completar 106 saltos de paraquedas em aeronaves em voos, sendo 18 noturnos, solicita transferência para a Escola de Educação Física do Exercito, na Urca, e é atendido.

Em 1979, participa da Colônia de Férias, como Monitor, na Escola de Educação Física do Exercito, e no mesmo ano solicita licença das fileiras do Exercito Brasileiro para viver como cidadão comum, mas ainda residindo no Rio de Janeiro.

 

No Rio de Janeiro, Ailton PQD, também, cursou o Segundo Grau no Colégio Diocesano João XXIII, mas não chegou a se diplomar. Ainda no Rio de Janeiro veio a se casar no ano de 1974 e tem 2 filhos: Adailton e André com sua ex esposa Ana Maria.

Em 1983, retorna definitivamente a Itororó, se casa com a professora Sandra Regina e tem três filhos: Kaê, Kaynan e Kaize. Com eles vive a plenitude de uma família bem sucedida da sociedade itororoense.

Em 1995, presta Concurso Público para motorista municipal e, sendo aprovado, é nomeado para dirigir ambulâncias e ônibus da Prefeitura de Itororó, e ali exerceu com garbo a sua função até se aposentar, no ano de 2011, para dedicar mais atenção a sua dinâmica família, depois de ter prestado 37 anos de relevantes serviços públicos nas esferas municipal e federal. Ailton PQD, hoje vive a certeza plena do dever comprido, exercendo de cabeça erguida, em Itororó, o cumprimento de sua cidadania…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Fechar