WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Cultura

ADYLSON LIMA MACHADO

Por Miro Marques

COM SACRIFÍCIO, ELE AMOLDOU A SUA VIDA.

Oriundo da querência de Monte Alegre da Bahia, emancipada ulteriormente com o nome de Mairi, na rica região da Feira de Santana, Adylson Lima Machado nasceu a 20 de abril de 1946, é filho de Lady Paes Machado e Adelaide Lima Machado. Chegou a Itororó ainda criança quando seus pais por boas informações sobre esse lugar, prestadas por Valdomiro Ferreira Silva e João Pereira Pacheco, seus conterrâneos, que já estavam radicados em Itororó e Firmino Alves, respectivamente, resolveram transferir residência para Itororó.

Foi nesta terra hospitaleira, onde se desenvolvia lavoura cacaueira e criatório de gado, que o menino Adylson brincou de mocinho do oeste e começou traçar seus planos para o futuro.
Após prestar exames de admissão, Iniciou seus estudos pelo Grupo Escolar Getúlio Vargas, ingressou como aluno da 4ª Série do Ginásio Juracy Magalhães de Itororó, onde mais tarde concluiu esta etapa e também o Curso de Contabilidade Técnica da primeira turma. Prestou exames vestibular pela FESPI – Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna, atual Universidade Estadual de Santa Cruz e sendo aprovado, ali também concluiu o Curso de Direito. A solenidade e o cerimonial de entrega de diplomas foi realizado na Antiga Escola de Direito de Ilhéus, agora Fórum de Justiça da comarca de Ilhéus.

Em Itororó o jovem Adylson Machado foi locutor do Serviço de Alto Falantes A Voz do Esporte, mantido pela Prefeitura, e foi apresentador de eventos culturais no Cine Teatro Irapuã e nos palcos da cidade. Foi pintor letrista, juiz de futebol, fundador do conjunto musical os Kuriangos, cuja façanha fora reconhecida pela sociedade local com a outorga do primeiro “Troféu Professor João Evangelista”, entregue em noite de gala pelo radialista Miro Marques – autor do projeto – na Fundação Cultural Cabana da Ponte, no dia 30 de maio de 2010. O mesmo Miro Marques foi também o vereador autor da proposição que culminou com o Título de Cidadão Itororoense para o ilustre professor Adylson Machado.

Adylson é casado com Lúcia Amaral Machado com quem mantém uma perfeita união matrimonial, pois foi ela que lhe dera 3 importantes rebentos: Claudia Irene, Vinícius e André, todos encaminhados a cursos superiores, e, de contra peso, o neto Yan que o vovô, encantado, revela aos amigos que é o neto mais bonito do mundo. Mas na sua infância as coisas foram extremamente difíceis, revelava Adylson em corriqueiros bate papos e em cursos e encontros religiosos que realizamos juntos. Dizia ele que: muitas vezes Dona Adelaide ao preparar o lanche para ele levar para escola, tinha que adicionar um pouco dágua para render o suco porque só tinha uma laranja pequena e não era suficientemente o bastante. E assim também aconteceu com seus irmãos: Helena Rita, Aidil, Nancy, Eva e Álvaro.

Adylson Lima Machado lecionou Economia e Contabilidade Técnica pelo Centro Educacional de Itororó, onde eu tive a honra de ser seu aluno, e militou nesta Comarca como contabilista, despachante e por último advogado de destaque. Fundou o jornal de maior circulação da cidade, O Novo Tempo que enalteceu a imprensa escrita de Itororó e da região por muitos anos. Mudando-se para Ibicaraí, também ali, lecionou na Academia de Educação Montenegro, por três anos. Passou a residir em Itabuna desde 1993 onde foi professor no Colégio Estadual de Itabuna, foi procurador geral do município de Itabuna no primeiro governo Geraldo Simões e leciona Direito Municipal no Curso de Ciências Jurídicas da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, em Ilhéus, desde 2001.

Em 1996, escreveu seu primeiro livro “Itabuna em Números”, um relato estatístico e histórico cultural de Itabuna desde os tempos dos seus intendentes públicos.
Em 2005, escreve o livro “Amendoeiras de Outono”, seu maior sucesso literato já traduzido para o espanhol. Como cronista e articulista, assina uma coluna semanal no Diário do Sul, em Itabuna. Mas o preclaro escritor tem livros inéditos a ser lançados além de O ABC DO CABÔCLO lançado em Itabuna/Ilhéus em 2008.
Adylson Lima Machado é, no momento, um dos mais conceituados advogados trabalhistas da região, tendo sido vitorioso, ao longo do tempo, em diversas causas consideradas perdidas por muitos profissionais do Direito.
No dia 16 de outubro de 2018, em noite de gala, no salão nobre Jaime Simões da Loja Maçônica Força e União de Itororó, como escritor, foi ovacionado por uma seleta plateia, quando aconteceu o lançamento de uma coletânea de sua autoria composta de 5 novos livros: CHAMA O BURRO E OUTRAS CRÔNICAS DE ANTONHO, PORTAL DA PIEDADE E OUTRAS CRÔNICAS, O CINZA E O SILÊNCIO E OUTROS CONTOS, ENTRE NUVENS DE AMBAR E LAMBE-LAMBE E OUTROS CONTOS…

Miro Marques

2 Comentários

  1. Tributo merecido ao intelectual de escol, sensível as causas sociais.. Adilson, sempre se destacou por sua luta incansável em prol da cultura e desenvolvimento de nossa cidade. Fica nossa gratidao, oxalá, tivéssemos o privilegio de vê_lo a frente do Executivo Municipal.

  2. Falar de Adílson não é tarefa difícil. Pessoa humana, um pai exemplar e homem de família. Vida longa! No dizer do Evangelho: passa pela vida fazendo o vem; combatendo o bom combate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Fechar